Arquidiocese

Caminhada Litúrgica
Advento e Natal

[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Arquidiocese de Braga
DACS com Agência Ecclesia/Vatican News | 22 Jul 2019
Estado do Vaticano quer abolir uso de plástico
A venda de plástico descartável foi proibida e o stock do mesmo deve terminar até ao final do ano.
PARTILHAR IMPRIMIR
 

O Estado da Cidade do Vaticano começou a reduzir o consumo do plástico e espera ter abolido completamente o seu uso até ao final do ano. Inspirado pela encíclica Laudato si, a venda de plástico descartável, por exemplo, foi proibida.

“O segredo foi acolher no coração as directrizes do Santo Padre na Laudato si. A Casa Comum deve ser salvaguardada e nós devemos ser os primeiros”, disse o responsável pelo Serviço de Jardinagem e Limpeza Urbana do Vaticano.

Rafael Ignacio Tornini explicou que foi preciso muito trabalho para mudar “mentalidades” e os funcionários dos “resíduos especiais” tiveram também formação especifica.

De acordo com o Vatican News, a venda de plástico descartável foi proibida e o stock do mesmo deve terminar até ao final do ano. Actualmente, 55% dos resíduos são diferenciados e o objectivo é em três anos atingir um número entre 70 e 75% de resíduos reciclados.

“O mundo dos resíduos é dividido em duas grandes categorias: O lixo urbano e o lixo especial, perigoso ou não perigoso. Em 2016, foi criada uma ilha ecológica para onde são destinados todos os resíduos especiais. Em 2018, a ilha foi reestruturada e reforçada, e agora conseguimos administrar cerca de 85 códigos Cer, que são os códigos de resíduos da União Europeia. Nestes primeiros seis meses conseguimos reduzir a proporção do não-reciclável para 2%, portanto, uma taxa de 98%”, desenvolveu o responsável pelo Serviço de Jardinagem e Limpeza Urbana do Vaticano.

Neste contexto, Rafael Ignacio Tornini explica que “mais difícil é a situação do não-reciclável” na Praça São Pedro com “milhares de turistas todos os dias” onde “o não-reciclável incide um pouco sobre todo o resto”.

“Debaixo das colunatas colocamos recipientes específicos para o plástico e devo dizer que funciona, pois recolhemos cerca de dez quilos por dia”, exemplifica.

Segundo Rafael Ignacio Tornini, o lixo orgânico e a poda das plantas são usados para fazer adubo, cerca de “400 toneladas de material”, contribuindo “para colocar no mercado a menor quantidade de resíduo possível”.

“O que descartamos tentamos reutilizá-lo no jardim, no Vaticano ou em Castel Gandolfo, como fertilizante de boa qualidade”, exemplificou o responsável pelo Serviço de Jardinagem e Limpeza Urbana do Vaticano.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Vaticano  •  Ecologia  •  Laudato si
Departamento para a Comunicação Social
Contactos
Director

P. Paulo Alexandre Terroso Silva

Morada

Rua de S. Domingos, 94 B
4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190