Horário do Cartório

Segunda das 10h às 12h;

Sexta das 16h às 17.45h.
 

Boletim Paroquial
Boletim 334 - XIII Domingo do Tempo Comum - Ano C - 30-06-2019
Crónica para XXIV Domingo do Tempo Comum - Ano C - 15 de Setembro de 2019

Baixe aqui

 

XXIV Domingo do Tempo Comum - Ano C

«Este homem acolhe os pecadores e come com eles» 

 

Misericórdia… virtude divina que podemos encontrar em cada um de nós!
Misericordioso… aquele que perdoa e oferece a cada dia e a cada homem um exemplo de vida único!
Misericordiosamente… modo como somos capazes de perdoar, e como queremos ser perdoados!
Aquele nó que nos amordaça a garganta quando sentimos que erramos,
leva-nos ao pedido de perdão e à ambição de escutarmos: “Está tudo bem! Eu amo-te! Eu preciso de Ti! Aqui estou!

Por nos sentirmos capazes de caminhar sozinhos e para onde queremos, afastamo-nos de Deus:
«Desce depressa, porque o teu povo, que tiraste da terra do Egipto, corrompeu-se.»
Por condição humana e destreza sabemos, também, que ao O invocarmos, com Fé e Verdade, seremos atendidos:
«Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade, pela vossa grande misericórdia, apagai os meus pecados.
Lavai-me de toda a iniquidade e purificai-me de todas as faltas.»

Por o Pai nos amar, imensamente, e conhecer o nosso coração, vem sempre ao nosso encontro:
«Mas alcancei misericórdia, porque agi por ignorância, quando ainda era descrente.»

A liturgia do 24º domingo, do Ano C abraça-nos com uma novidade matemática e milenar:
«Assim haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se arrependa,
do que por noventa e nove justos, que não precisam de arrependimento.»

S. Lucas… o querido e amado médico e Evangelista que descreve saborosamente as parábolas do Messias,
hoje, serve-nos de bandeja as três histórias que nos revelam a infinita Misericórdia do nosso Deus!
Quem de nós não quer como certeza absoluta na sua vida o Amor incondicional dos nossos pais?
Quando éramos crianças, aquele beicinho adorável que fazíamos após uma asneira gigantesca,
poupou-nos ou não de uns castigos mais pesados?
Não há PAI, nem MÃE (na plenitude e grandeza da palavra) que não fique enternecido
com o pedido sincero de perdão do filho e, esquece o desenho na parede da sala…
o corte de cabelo na irmã mais nova… a mordidela no braço do filho do vizinho… Coisas da infância… J

A ovelha, a dracma e o filho… todos preciosos e todos perdidos!
O Pastor não desiste! A Viúva faz uma busca incansável! O Pai permanece numa terna espera repleta de Esperança!
Tudo volta… “O seu ao seu dono!” diz o povo e com razão… e nós? De quem somos, então?
Somos de Deus! Somos Seus Filhos e quando erramos… quando temos o tal nó na garganta
mas, sabemos abrir o coração e pedir perdão, já o Antigo Testamento nos revela que a Misericórdia do Pai é infinita:
«Então o Senhor desistiu do mal com que tinha ameaçado o seu povo.»
e o Novo Testamento vem inundar-nos o peito com a Esperança de que:
«Em Cristo, Deus reconcilia o mundo consigo e confiou-nos a palavra da reconciliação.»

Sabes… hoje a ovelha perdida e a humilde dracma são mais belas e puras do que eu!
Não me sinto nada digno de ser o filho que se afasta e, quando volta… sabe que o Pai terá os braços abertos!
A ovelha fugiu como ser irracional… a dracma desapareceu por descuido da viúva…
mas, o Filho, EU, afasto-me pelo meu pé! Sempre…
Porque não sou capaz de desatar o nó, para criar laços de caridade, de paz e de Amor?
Porque não quero instar com Deus e alegrar-me com o regresso de quem parte?

Hoje, é preciso dar vida às palavras: “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos!
O Erro é o que temos de comum com todos, e saber pedir perdão é o que fazemos de melhor!
Mas, aquela sensação de liberdade total, de ser digno da misericórdia divina… é quando perdoamos!
Vive a tua condição de Filho: erra, cai, desespera-te e volta o teu olhar para o Senhor Bom Deus e Teu Pai,
que Se regozija como quem encontra uma simples dracma e abre os Seus amorosos braços
para te acolher como ovelha perdida… e nunca temas Ser misericordioso como o Pai, também o é!

A Misericórdia é a mais bela herança que o Pai semeou no teu peito. Deixa que seja um doce fruto no teu dia-a-dia!
Que a Tua Missão liberte os nós de quem vive nas trevas, e crie alegres laços entre cada homem e o Pai!

Arquidiocese

Beato Bartolomeu dos Mártires já é Santo
[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Paróquia Nossa Senhora da Lapa
28 Jul 2019
Paz à sua alma
 
19 Nov 2018 Equipas de Nossa Senhora Encontro Nacional das ENS em Fátima LER
20 Out 2018 Caminha pela Vida, 27 de Outubro, Braga “A Vida em 1º lugar!” LER
2 Jun 2018 Recriação Histórica Junto à Igreja da Lapa Naufrágio de 27 de Fevereiro de 1892 LER
1 2 3 4 5 ... 15
Paróquia de Nossa Senhora da Lapa
Casa Paroquial
Morada

Rua padre Manuel Marques Silva, s/n
4490-582 Póvoa de Varzim

TEL

252624200

FAX

252620975

Cartório Paroquial

Cartório Paroquial - Horários

Segunda das 10h às 12h;

Sexta das 16h às 17.45h.

Confissões

Confissões

Visitas aos Doentes

Visitas aos Doentes 

 

Párocos